“O melhor lugar do mundo é aqui e agora…”

O melhor lugar do mundo é aqui e agora - Dra Lilian - Pediatria e Acupuntura

“O melhor lugar do mundo é aqui e agora…”

Quando estamos de frente a uma paisagem deslumbrante conseguimos parar, respirar fundo, nos acalmar, viver intensamente. A beleza encanta os olhos, o peito expande, a mente se aquieta, a energia flui em uma profunda ligação com o Universo. Só existe um tempo – o presente, e um momento – o agora, e desejamos que eles nunca terminem…

Mas quando retornamos às nossas atividades em casa ou no trabalho, responsabilidades, projetos, metas, reuniões, discussões, trânsito, etc, perdemos aquela conexão mágica. Na correria do dia a dia o peito aperta, a respiração torna-se curta e acelerada, o tempo passa rápido demais. Tomados pela ansiedade, angústia, preocupações, inseguranças, vamos esquecendo de que a vida é muito maior do que tudo isso e que podemos sim sentir paz ou mesmo manter a calma na adversidade.

 

Como viver momentos de paz na correria do dia a dia?

Não é algo fácil, mas também não é impossível. É preciso persistência e treino. Estar em paz nem que sejam por alguns minutos durante o dia repercute na nossa saúde, nos relacionamentos, nos afazeres diários, enfim, é preciso fazer para sentir a diferença.

Sente-se num local confortável, onde você não será interrompido, costas eretas. É recomendável programar um alarme para tocar baixinho após 10 a 20 minutos. Feche os olhos e simplesmente observe os pensamentos que surgem. Inicialmente pode haver uma inquietação, aparece uma coceira em algum lugar do corpo, uma necessidade de se ajeitar na cadeira. De repente, se estiver calor pode vir uma sensação de boca seca, uma vontade de tomar um líquido gelado, daí segue a visão da geladeira vazia e na sua porta, a lista de compras do supermercado que fica na rua do banco, então você lembra da conta que está para vencer, sente um formigamento na perna e por aí vai…  Estes e outros são os movimentos da mente que não sabe ficar quieta. Como um macaco na floresta que pula de galho em galho, ela vai para lá, para cá e acolá. O treino é não se apegar a nenhum dos pensamentos, deixá-los passar como nuvens no céu. Após alguns minutos, como o açúcar que, diluído na água, se deposita lentamente no fundo do copo, a mente vai assentando e a respiração naturalmente fica mais profunda e longa… Os ombros começam a relaxar.

Observe a respiração. A respiração é uma ferramenta fundamental. Quando prestamos atenção no ar que entra e no ar que sai, estamos no aqui e agora, despertamos a consciência para o momento presente que verdadeiramente é o único que temos e onde tudo acontece. Vou sugerir aqui um exercício simples que o mestre zen Thich Nhat Hahn ensina em seu livro “Para viver em paz – o milagre da mente alerta”:

Inspire mentalizando: “Estou inspirando, um”. Ao expirar: “Estou expirando, um”.

Na segunda inspiração: “Estou inspirando, dois”. Ao expirar: “Estou expirando, dois”.

“Estou inspirando, três.” “Estou expirando, três”.

Continue assim até dez. Ao chegar no número dez, recomece novamente. Se perder a contagem, retorne ao um.

Por quanto tempo devo fazer este exercício? É sugerido no início 5 a 10 minutos, se possível fazer de manhã e a noite.  Porém, aos poucos podemos ir aumentando o tempo até 20 a 30 minutos.

 

Isto é uma meditação?

Sim. Quando prestamos atenção na respiração, saímos do mundo exterior e nos voltamos conscientemente para o nosso mundo interno. Aos poucos, esta concentração nos leva a um estado de relaxamento e quando nos entregamos ao exercício, estamos inteiramente no presente. Neste estado de presença, as tensões do passado e as expectativas do futuro silenciam e encontramos calma e paz que são a essência do nosso ser. Com o treino diário, este estado se perpetua para além daqueles vinte minutos, nos tornamos mais inteiros, calmos, com uma sensação agradável de contentamento.

 

Sugestões de livros:

“Para viver em paz – o milagre da mente alerta”  Thich Nhat Hahn

“Meditando na cozinha – crônicas & receitas” Sonia Hirsch

“Medicina e meditação – um médico ensina a meditar” Roberto Cardoso

“Psique e Medicina Tradicional Chinesa” Helena Campiglia

*Deixo aqui, a música do Gil “Aqui Agora”.

SEM COMENTÁRIOS

Deixe um comentário