Primavera

Primavera - Dr Lilian - Pediatria e Acupuntura - Foto: Atílio Avancini

Primavera

A primavera despede-se do inverno, trazendo a energia do nascimento, crescimento, renovação e expansão.

As sementes que se prepararam nos meses anteriores, começam a soltar seus brotos e  rompem o solo.  Este mesmo impulso gera o desenvolvimento das árvores e o desabrochar das flores, desperta os passarinhos a cantarem mais cedo, inspira o acasalamento dos animais.

Tudo o que ocorre na natureza, acontece também em nosso interior. Esta energia de renovação da primavera, nos incita a buscar novos desafios, a fazer planos para viver melhor, a se desapegar de tudo o que não faz mais sentido, ansiar pela liberdade e espaço a fim de crescer e se desenvolver, como as árvores, que mesmo enraizadas na terra, buscam a generosidade do céu.

A medicina tradicional chinesa (mtc) e a primavera

Há mais de 5000 anos, os chineses se dedicaram ao estudo do universo e do homem por meio da observação da natureza. Através de seus olhos pequenos, enxergaram a amplidão. Conseguiram associar as estações do ano aos elementos da natureza, às direções, ao homem, seus órgãos e estruturas do corpo, às emoções, às atitudes, aos sentidos, aos sons, às notas musicais, às cores, odores, números, horários do dia, fases da Lua, até mesmo aos planetas.

Segundo a medicina chinesa, que se baseia nos princípios do Yin e Yang e na Lei dos 5 Movimentos (ou Elementos), a primavera está ligada ao elemento Madeira (representada pela árvore e toda sua simbologia), à cor verde, ao vento, à direção Leste, ao órgão fígado e sua víscera vesícula biliar, aos olhos, tendões, à emoção da raiva, à paciência, à criatividade, à atitude de planejamento e à tomada de decisões.

Os olhos e sua relação com o fígado

Naquela época, sem nenhum exame de sangue ou de imagem, sabiam que os olhos e a visão, refletiam o estado do fígado. Desde uma grave doença ao mais nobre dos sentimentos. É o que observamos na hepatite em que os olhos ficam amarelados ou então vermelhos no abuso do álcool, devido à sua congestão. Olhos inflamados, lacrimejantes, vermelhos ou secos; miopia ou hipermetropia; catarata, glaucoma, e outras anomalias visuais basicamente espelham as condições do fígado.

O fígado tem um papel importante no controle das emoções, muitas delas, principalmente a raiva, podem ser percebidas através dos olhos.

Num momento de raiva e fúria, os olhos fuzilam o adversário. Quando o interior está em harmonia emitem um brilho calmo e sereno. Quando existe humanidade, boa intenção e um propósito justo, o olhar consegue encantar o outro, despertando a garra de viver.

Torcicolo, tendinites, dores musculares e o acúmulo de tensões

Sem serem psicólogos, os chineses compreendiam que um torcicolo assim como um “mau jeito”nas costas, não eram simplesmente  um espasmo ou inflamação de músculos, mas  consequência de alguém que sofre ao acumular muita tensão, estresse ou uma frustração, devido a alterações da energia do fígado e da vesícula biliar.

O fígado nutre e umedece os tendões, ligamentos e músculos e, portanto, quando em desequilíbrio, podem ocorrer contraturas, estiramentos, tendinites, entorses, dores na coluna, cãibras. Quando em equilíbrio, o corpo se torna forte e flexível e seu movimento é fácil, harmonioso e natural.

Digestão e o desejo pelo sabor ácido

Quando a energia do fígado e da vesícula estão em desarmonia, surgem queixas comuns como dor na região abaixo das costelas (hipocôndrios), sensação de barriga distendida. Se o estômago e baço também são afetados, aparecem dor no epigástrio(boca do estômago), arrotos, regurgitações ácidas, náuseas, vômitos, sensação de “caroço” na garganta, diarréia.

O fígado armazena o sangue quando dormimos e o libera quando fazemos atividades, regulando assim sua quantidade durante o dia.

Comer demais, principalmente comidas gordurosas antes de dormir, dificulta suas funções.

O sabor da primavera é o ácido. O excesso ou a falta deste sabor na alimentação, pode indicar um desequilíbrio no elemento madeira.

A mulher

Na medicina chinesa, o fígado é muito importante para a mulher, assim como o rim o é para o homem. O meridiano (caminho que a energia percorre no organismo) do fígado percorre e rege o sistema reprodutor feminino. Alterações na sua circulação podem trazer consequências no ciclo menstrual, assim como sintomas de TPM, cólicas, dores nas mamas, presença de cistos de ovário, miomas uterinos, corrimentos ou prurido vaginais, alterações da libido como frigidez.

As emoções

O fígado tem a função de promover a circulação da energia (Qi) e sangue por todo o organismo, trazendo equilíbrio, saúde e bem-estar físico, mental, emocional e espiritual. Alterações no fluxo da energia podem provocar mudanças repentinas de humor, grande irritabilidade, impaciência e principalmente explosões de raiva, na tentativa de aliviar toda tensão acumulada. Porém, quando esta tensão é interiorizada por muito tempo, pode levar a quadros de depressão.

Intuição, imaginação, criatividade, capacidade de fazer planos e tomar decisões estão relacionados ao elemento madeira.

DICAS PARA VIVER BEM NA PRIMAVERA

1.Observação

Através da prática da observação  nos conscientizamos do que sentimos, fazemos e comemos. Mesmo com a correria do dia a dia, excesso de atividades e informações, precisamos reservar alguns minutos de silêncio para simplesmente nos observar.

2.Movimento

Este é um pequeno trecho extraído do livro de Gao Lian, Zunsheng bajian (Eight Pieces on Observing the Fundamental Principles of Life) – Século XVI , que nos ensina como viver saudavelmente e honrar o Qi da primavera.

“Primavera

 

Os três meses da primavera são o período de renovação: o velho e gasto se dissipa, céu e terra retornam à vida, e tudo floresce.

Descanse de noite e levante-se cedo, caminhe livremente pelo jardim, relaxe e desfrute da agradável sensação de um passeio matinal; esta é a forma como deve despertar o seu espírito na primavera.

Favorecer toda a vida e não matar, ser generoso e agradável, dar livremente e não punir.

Esta é a maneira de honrar o qi da primavera e nutrir a vida durante esta época.

 Ir contra essas características do fluxo sazonal terá efeitos prejudiciais sobre o fígado.

 

… Primavera é a estação de harmonia. Este é o tempo para caminhar pelos jardins e florestas, para se sentar calmamente nos quiosques pela paisagem e aproveitar as tranqüilas imagens da natureza.

Abra seu coração, livre-se de toda a energia estagnada e, assim, incentivar o qi de nascimento, vida e renovação de fluxo.

Neste momento, seria contra a dinâmica da natureza se sentar ao redor de coisas interiores e crescer estagnado e deprimido.”

 Escrito no século XVI, Gao Lian, médico e poeta, nos mostra o quanto é necessário  movimentar o corpo e ao mesmo tempo relaxar, desfrutar, se acalmar, além de abrir o coração e deixar sair tudo o que está estagnado.

Escolher uma atividade física prazerosa, que possa ser feita diariamente. Através do movimento do corpo, a circulação é ativada, eliminamos toxinas pelo suor, a mente se acalma e conseguimos enxergar a vida com maior clareza.

Fazer passeios ao ar livre em contato com a natureza. Respirar profundamente e se nutrir da cor verde.

Quanto ao vento, que ocorre na primavera, é importante proteger o pescoço com um lenço ou uma blusa de gola alta, principalmente quando estamos cansados ou nos sentindo fragilizados.

3.Alimentação

Proteger o fígado, que está mais sensível na Primavera.

Evitar alimentos muito gordurosos, frituras, excesso de proteína animal, alimentos processados, cheios de corantes e substâncias artificiais. Evitar o excesso de álcool.

Escolher alimentos próprios da estação, pois estão de acordo com o tempo, a terra e o clima e não precisam de estímulos para a sua produção. Dê preferência, sempre que possível às frutas, verduras e legumes orgânicos que são livres de agrotóxicos.

– Frutas:
abacaxi pérola, abiu, acerola, amêndoa, ameixa nacional, banana-nanica, banana-prata, caju, grapefruit, jabuticaba, kiwi, laranja-lima, laranja-pera, maçã Fuji, mamão formosa, manga, melancia, melão, mexerica, nectarina nacional, nêspera, pêssego tangerina murcote.

– Legumes:
abóbora, abóbora japonesa, abobrinha italiana, alcachofra, batata-doce amarela e rosada, berinjela comum, cará, cenoura, cogumelo, ervilha, ervilha-torta, fava, inhame, maxixe, nabo, pepino japonês, pepino comum, pimentão amarelo, verde, vermelho, tomate e vagem.

– Verduras:
agrião, alface, alho-poró, almeirão, aspargos, beterraba, cebolinha, brócolis,  cenoura, chicória, couve, couve-de-bruxelas, couve-flor, endívias, erva-doce, espinafre, louro, orégano, mostarda, rabanete e rúcula.

– Brotos e grãos germinados:

Segundo a escritora e pesquisadora Sonia Hirsch: “Com um sabor refrescante, os brotos alimentam, têm enzimas e são desintoxicantes. São pedaços de primavera que confirmam em nós a qualidade expansiva, tipicamente yang, quente e ativa, desta época do ano.”

– Peixes:

Atum, biru, carapau, cascudo, castanha, corvina, jundiá, lambari, mandi, mangona, meca, piau, sardinha, savelha, tambica, tilápia, traíra, tucunaré, vira, xixarro

 

Ainda sobre a prática da observação:

Observe como está seu estado de humor antes de iniciar a refeição.

Comer sentindo raiva, nervosismo e agitação é muito prejudicial ao fígado.

Apenas alguns segundos são necessários para agradecer ao solo, à chuva, ao vento e às mãos que fizeram chegar o alimento ao seu prato.

Comer num estado de contentamento, com calma, sentindo o sabor e o perfume dos alimentos, nutre o corpo, a mente e a alma.

Sugestões de livros:

“Combinações de pontos de Acupuntura”   Jeremy Ross – Editora Roca

“Os 5 elementos na alimentação equilibrada”  Dra Ilse Maria Fahrnow e Jürgen Fahrnow – Editora Ágora

“O sabor das estações”  Fundação Mokiti Okada

“Meditando na cozinha” Sonia Hirsch – Editora Correcotia

SEM COMENTÁRIOS

Deixe um comentário