Yin e Yang

Yin e Yang - Por Dra Lilian

Yin e Yang

“…Yin e Yang são os princípios que norteiam todas as coisas.” *

Os chineses há mais de três mil anos, com seu espírito de observação nomearam os fenômenos da natureza em yin e yang, representando a terra e o céu, a lua e o sol, o escuro e o claro, o vazio e o cheio, a água e o fogo, a quietude e o movimento, o frio e o calor, a matéria e a energia, a mulher e o homem.  Yin e yang podem parecer à primeira vista, forças opostas, mas quando observamos melhor concluímos que são complementares e inseparáveis, um existe devido a existência do outro. Nada é yin ou yang o tempo todo. Quando um atinge sua expressão máxima transforma-se no outro.

Como o dia e a noite: ao meio dia, com o sol a pino, dizemos que o yang é máximo, a partir das 12:01hs  o yin vai entrando vagarosamente no yang, num movimento invisível aos nossos olhos, tornando-se um pouco mais perceptível ao entardecer, atingindo à meia noite, escuridão total ( o yin máximo) para imediatamente às 0:01h, com os raios de sol vindos do oriente, o yang entrar silenciosamente no yin e  a noite se transformar em um novo dia.

Mutações contínuas do universo… as ondas que atingem uma altura máxima para então despencar, um dia de calor intenso seguido de uma chuva refrescante, as mudanças de estações.

Estes movimentos acontecem na nossa vida e também dentro de nós:

  • o encher (yang) e o esvaziar (yin)  do coração e dos pulmões,
  • movimento de subida (Yin) e de descida (Yang) do diafragma,

uma febre que atinge o máximo para então o corpo começar a transpirar e se refrescar.

Yin e Yang são relativos. A mulher é considerada yin porém, pode ter características yang como falar alto, ser extrovertida, calorenta, preferir sair a ficar em casa. O homem yang pode ter características yin como falar baixo e devagar, gostar de ficar quieto em casa, ser tímido, friorento. Na realidade, todos somos yin e yang ao mesmo tempo, o importante é perceber  quando um se sobressai excessivamente ao outro.

Uma pessoa que está muito agitada precisa ter momentos de quietude; quando trabalha exaustivamente necessita de um descanso maior; se está muito parada beneficia-se do  movimento; se está triste e deprimida requer acolhimento e companhia e se a alegria é tanta que transborda precisa de recolhimento.

Através da auto-observação e consciência, conseguimos agir no sentido de retornar sempre ao equilíbrio quando este nos parece escapar, tendo assim nas mãos, as rédeas da nossa preciosa saúde!

 Mais sobre o assunto: Psique e Medicina Tradicional Chinesa de Helena Campiglia

                                        Manual do Herói –de  Sonia Hirsch

*Nei jing- Su Wen – um dos livros mais antigos da medicina tradicional chinesa

 

like do facebook Dra Lilian

SEM COMENTÁRIOS

Deixe um comentário