Outono, Metal e Pulmão

O Outono é o momento em que nos preparamos para o Inverno.

Época de colheita. É nesta estação do ano, que colhemos e guardamos alimentos para sobreviver no Inverno. Nossos ancestrais guardavam lenha, para manter o fogo que os aquecia. Alguns povos ainda mantêm esta tradição.

As folhas das árvores começam a cair. O chão fica colorido em tons de amarelo, verde e marrom. É a natureza nos dizendo: “Proteja-se das agruras do frio.”.

Alimentos em Conservas

Alguns povos nos legaram técnicas de conservação de alimentos para o Inverno. Agora as conservas são industrializadas. Mas, no Sul do Brasil era frequente se apreciar vidros e vidros de conservas, que seriam abertas apenas nos dias mais frios.

Hoje, a geladeira, o congelamento, o acesso aos supermercados permitem que esqueçamos dessas tradições.

Mesmo assim, o fruto da época tende a ser mais saboroso

Outono além das Estações do Ano

Mas, Outono é mais que uma estação do ano. É uma metáfora para o momento da Vida que precede a velhice. É o crepúsculo da Vida.

Outono da Vida

Assim, como as folhas das árvores caem, nós também tendemos a perder fios de cabelos. Embranquecem. Nossa pele vai ficando enrugada. Algumas manchas surgem. Alguns esquecimentos também se manifestam. Sentimos mais frio, pois produzimos menos energia.

Tempo de colheita. Se semeamos, então teremos frutos fartos. E assim, estaremos mais bem guardados no Inverno da Vida

Medicina Tradicional Chinesa (MTC)

Yin e Yang

Segundo a Medicina Tradicional Chinesa (MTC), o Outono é o Yin dentro do Yang. O Verão é Yang. E o Outono é o Yin que vai crescendo dentro do Verão.

É a velhice chegando. É o velho que cresce dentro do jovem, transformando o corpo, a mente, as sensações e as esperanças.

No equinócio de Outono, o Yin e Yang tendem a se igualar. Mas o Yin continua crescendo prenunciando a chegada do Inverno.

Teoria dos Cinco Elementos

Nos Cinco Elementos, o Outono pertence ao Metal. O Metal é Pulmão e Intestino Grosso. A emoção do Pulmão é a Tristeza.

Ou seja, o declínio do calor e o encurtamento do dia favorecem o surgimento da Tristeza e dos problemas respiratórios.

Ditados do Pulmão

Lembrando que o Pulmão é o órgão do Outono, então vou recordar quatro (4) ditados relacionados ao Pulmão, que Giovanni Maciocia nos legou em suas obras. 

  • Controla os 100 vasos
  • Detesta o Frio
  • Governa a Voz
  • É um Órgão Delicado

O Pulmão controla os cem vasos

Como o Pulmão governa o Qi, então ele exerce forte influência em todos os canais. Pois, o Qi circula por eles.

Íntima relação entre o Pulmão e Coração

  • O Pulmão governa o Qi
  • O Coração governa o Sangue

Estreita ligação entre Qi e Sangue

  • O Qi é o comandante do Sangue
  • E o Sangue é a mãe do Qi

Portanto, o ditado de que o Pulmão governa os 100 vasos refere-se aos canais e vasos sanguíneos, que são irrigados pelo Qi.

O Pulmão detesta do frio

O Pulmão influencia a pele e o Qi Defensivo. Por isso, pode ser invadido com facilidade por fatores patogênicos exteriores, em particular, pelo Vento-Frio. A metáfora Vento-Frio remete ao ar frio do inverno que invade os Pulmões provocando vasoconstrição e dificultando a respiração.

Portanto, lembre que as noites tornam-se mais frias, nesta estação. Então, agasalhe-se.

O Pulmão governa a Voz

A força, o tom e a clareza da voz dependem do Pulmão. Portanto, quando o Pulmão está saudável, então é comparado a um sino, que emite um claro soar, que é a voz.

Mas, se o Pulmão está fraco, então a voz é baixa. Se está obstruído por Fleuma, então tom de voz pode ser amortecido.

O Pulmão é um órgão delicado

O Pulmão é descrito pela MTC como um órgão sensível e delicado. Isso acontece porque, dentre todos os órgãos internos, ele é o primeiro invadido por fatores patogênicos externos. Essa facilidade relativa com que o Pulmão é afetado pelos fatores patogênicos externos reflete a sua sensibilidade e delicadeza.

Pulmão em tempos de Pandemia

Na pandemia a qual vivemos neste início de década é um mal que afeta todos os continentes, nações, famílias, corpo e órgãos.

Entretanto, estatísticas revelam que o Pulmão é o órgão mais frequentemente afetado. Isso porque, o Covid-19, metaforizado pela expressão Vento-Perverso, penetra principalmente pela respiração.

Covid-persistente

Dados mostram que o Pulmão continua afetado por longos meses, sendo então o órgão mais sensibilizado na Covid-persistente. Por exemplo, a Fadiga atinge 58% das pessoas recuperadas de Covid.

Mais sintomas, como falta de ar, tosse, desconforto no peito, problemas de pele, redução da capacidade pulmonar e apneia do sono compõem o quadro da Covid-persistente, os quais teêm alguma relação com o Pulmão.

Cuidados neste Outono

Dessa forma, a dica que deixo para este Outono de 2021, resume-se:

  • Resguardar-se, o máximo possível, para evitar ser contaminado pelo Covid-19.
  • Esta sugestão vale também para o Inverno que se aproxima.

Seu Pulmão agradece!

Sugestão de leitura: Antídotos para Emoções Destrutivas

Fontes

Deixar uma resposta